Ator, malabarista, dançarino e principalmente palhaço. Felipe Ternes de Oliveira estudou Educação Física e serviu no Núcleo de Preparação de Oficiais da Reserva do Exército Brasileiro, onde quase foi tenente. Já pensou? Aos doze anos trabalhou no circo como vendedor de refrigerantes e logo foi promovido para atendente do trailer de cachorro quente. Malabarista de nascença, não sabe explicar nem como e nem quando aprendeu a jogar três bolinhas.

Cresceu no Condomínio Residencial Vênus, local hostil, onde o bulling com os mais novos era tarefa obrigatória de cada nova geração. Talvez sua capacidade de improvisar ou brincar com as dificuldades do dia a dia venha dessa fase da vida. Foi no Vênus que também nasceu sua paixão pelo futebol, esporte muito praticado no condomínio.

Em 2005 ingressou na Faculdade de Artes do Paraná, para cursar Licenciatura em Teatro, porém não concluiu o curso. Estuda a arte do Palhaço desde 2002, participou de diversas oficinas de palhaço e improvisação com diversos professores e mestres, tais como: Ricardo Behrenhs, Ricardo Pucetti, Marcio Ballas, Marcio Libar, Alberto Gaus, Shon Kilen, Daniel Nascimento, Pepe Nuñes, João Artigos, Marco Gonçalves, ente outros.

Idealizador e administrador da Cia dos Palhaços e do Espaço Cultural Cia dos Palhaços e organizador de eventos de difusão da arte do palhaço em Curitiba, entre eles: Festival Palhaços Pondo a Mesa, Mostra Seu Nariz e Cabaret dos Palhaços. Em 2009 em audição do Cirque de Soleil, foi aprovado e convidado a fazer parte do banco de artistas do Cirque.

Faz parte de todos os espetáculos da Cia dos Palhaços destacando-se em um deles: Entretantos Contratempos, onde foi premiado com o Troféu Gralha Azul, como melhor ator do Paraná em 2014.

Acredita no palhaço como uma missão especial, um agente transformador. É integrante da Cia dos Palhaços, produtor cultural e marido da Palhaça Tinoca.