Livre adaptação da obra “El Atolondrado”, primeiro espetáculo de Molière. Já é possível vislumbrar o que seria seu estilo, como a critica à sociedade e o desenvolvimento de arquétipos universais com uma fina ironia. O espetáculo realiza uma junção de técnicas (improvisação, mímica e Commedia Dell’Arte) através da linguagem do palhaço, resultando em diferentes visões sobre a pesquisa cômica.

Esta é a primeira montagem da obra no Brasil e vem com o toque da Cia dos Palhaços. A proposta é trabalhar com poucos elementos cênicos deixando tudo para o ator-palhaço resolver. A maioria dos objetos são imaginários, criados na hora pelos atores como uma brincadeira.

Vencedor de 3 prêmios Gralha Azul: ator, sonoplastia e cenário.

Texto: Ricardo Behrens (Livre adaptação da obra “El Atolondrado” de Molière)
Tradução: Juanico di Salvo
Direção: Ricardo Behrens
Orientação Artística e Confecção das Máscaras: Roberto Innocente
Elenco: Eliezer Vander Brock, Felipe Ternes de Oliveira e Nathalia Luiz
Criação e Execução de Trilha Sonora: Candiê Marques e Doriane Conceição
Criação e Execução de Iluminação: Anry Aider
Figurinos: Fabianna Pescara e Renata Skrobot
Costureira: Rose Matias
Cenário e Cenotécnico: Aorélio Domingues
Caracterização e Maquiagem: Mozart Machado
Design Gráfico: Tulio Filho | Blu Design e Comunicação
Fotografia: Nilton Russo
Assessoria de Imprensa: Ana Reimann
Filmagem: Essencial Teatro e Cinema
Produção: Nathalia Luiz
Assistente de Produção: Fabrício de Angelis
Realização: Cia dos Palhaços